Muitas pessoas estão se perguntando, devido à grande quantidade de peças publicitárias que adotaram o discurso de eliminação do cloro em piscinas, se realmente é possível realizar o tratamento de piscinas sem o cloro.

Atualmente é super comum ver propagandas e comerciais divulgando o tratamento de piscinas sem cloro.

As piscinas utilizadas por crianças e bebês tem sido os principais alvos destas ações de marketing.

Com uma análise um pouco mais profunda percebe-se que isso se deve aos mitos criados em função do mau uso deste componente químico: o cloro.

Nem todo mundo sabe, mas é obrigatório a utilização de um método de tratamento que, como o cloro, deixe um residual de proteção na piscina!

Vamos repetir…

Residual de proteção é obrigatório no tratamento de piscinas!

Quando o tratamento é realizado de forma correta sempre mantendo o cloro entre 1 e 3ppm ele realmente mantém a água protegida de bactérias e micro-organismos causadores de doenças!

Porque é obrigatório um tratamento residual?

É obrigatório o uso do cloro em piscinas?Métodos que utilizam desinfecção por luz ultravioleta, gás ozônio, e vários outros, desinfetam a água que passa naquele momento pelo equipamento e não criam um residual de proteção na água.

Sendo assim, se algum agente infeccioso entre em contato com a água que está na piscina, ele não será eliminado ou combatido de imediato.

Isso traz um risco enorme à saúde dos banhistas!

Por isso o residual de proteção é obrigatório e exigido pelo Ministério da Saúde.

A qualidade da água das piscinas, seja de academias, clubes, hotéis, condomínios ou residências, é essencial para manter a saúde e o bem-estar dos banhistas.

Apesar desta obrigatoriedade, nós não somos a favor da utilização do cloro como única forma de desinfecção da água de piscinas!

Cloro para piscinasÉ interessante ter um sistema de tratamento que auxilie o cloro na sua função de desinfetar a água!

Para isto existem alguns sistemas especialmente eficientes: o sistema de tratamento de água com ozônio, o sistema de tratamento de água com ultra-violeta, o tratamento com sal e o tratamento com ionizadores.

Em geral, estes sistemas são perfeitos para trabalhar em conjunto com o cloro!

Em especial o ozônio pois é muito mais potente que o cloro e age muito mais rápido, além de matar vírus: coisa que o nosso elemento químico querido não faz!

Todas as piscinas necessitam de um residual de proteção em seu tratamento, isto é fato!

Mas mantê-lo como única fonte de desinfecção não faz bem, nem para os usuários da piscina e nem para sua aparência.

Isso porque, em geral, piscinas tratadas somente com cloro ficam turvas e verdes muito mais facilmente que as que têm dois métodos de tratamento trabalhando juntos.

É obrigatório o uso do cloro em piscinasMuitos tratamentos divulgados hoje em dia, como aqueles realizados por meio de raios ultravioletas, ozonizadores e demais métodos são coadjuvantes e são eficazes, mas se utilizados como tratamento auxiliar, fazem da piscina uma fonte de cristalinidade infinita!

Piscinas que possuem o cloro e o tratamento com ozônio ficam simplesmente irradiantes!

Então é isso pessoal: conforme norma ABNT NBR 10818/1989 é obrigatório sim o uso de algum sistema de tratamento que mantenha um residual de proteção na piscina ok?

Agora cabe a você escolher qual o sistema que será o complementar…

Esperamos que tenham gostado do artigo sobre a obrigatoriedade da utilização do cloro na piscina.

Para sanar qualquer dúvida relacionada ao assunto utilize o campo de comentários logo abaixo para conversar com a comunidade!

Receba dicas e novidades grátis no email

GOSTOU DO QUE LEU?

NENHUM COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO