Todos que tem uma piscina no quintal sabem que não é todo dia que ela é super movimentada e frequentada pela criançada, pelos amigos e parentes…

Existem épocas que a piscina acaba ficando meio abandonada. Geralmente durante os meses de frio ou na época das chuvas, inevitavelmente acabamos deixando-a um pouco de lado.

Você que nos acompanha já deve ter lido nosso texto onde ensinamos o passo-a-passo para interromper o uso da piscina. Se não leu, confira aqui: “Interrompendo o uso da piscina – Como hibernar a piscina“.

Contudo, depois que as chuvas vão embora e chegando vai dando as caras novamente, a piscina vai se tornando cada dia mais atraente, não é mesmo? Então chega a hora de colocá-la na ativa novamente!

Mas como reativar uma piscina?

É exatamente disto que vamos falar… Quer aprender a reativar a piscina? Vem com a gente!

Reativar a piscina parada

Como reativar a piscinaÉ comum em determinada época do ano recebermos comentários perguntando exatamente isto: como reativar minha piscina?

Resolvemos escrever este texto para construir um passo-a-passo breve que poderá te guiar na reativação de sua piscina.

Em geral, o cenário que temos é o seguinte: uma piscina praticamente abandonada, sem qualquer tratamento físico ou químico, no máximo uma pastilha de cloro no flutuador a cada semana…

Depois de todos estes meses de desleixo com a piscina, geralmente as pessoas nem se lembram mais como mantém a filtração, a limpeza e o balanceamento químico da água.

Ainda que você tenha uma super capa de proteção, o balanceamento químico da sua piscina mudou bastante durante os meses em que ela esteve em segundo plano.

Na verdade, piscinas que ficam com a capa de proteção, geralmente serão encontradas sob vários quilos de sujeira, que se acumulam em cima da capa. Mesmo que ela tenha um dreno para impedir este acúmulo, cada grama de sujeira que passou pelo dreno e entrou em contato com a piscina, certamente fará diferença no equilíbrio químico da água.

Limpar a piscina

O primeiro passo para ter a piscina novamente pronta para o uso é começar seu tratamento físico. Aqui a ideia é retirar o excesso de sujeira para facilitar os procedimentos que virão a seguir.

Peneirar a piscinaPodemos começar limpando o skimmer e o cesto do pré-filtro da bomba e em seguida já podemos reativar a filtração da água.

Esta filtração ajudará a remover as partículas de sujeira suspensas na água bem como certa parte daquela que decantou ao longo dos meses.

Você pode optar por filtrar a piscina por um período mais longo nestes primeiros dias… Talvez 24h por dia…

Depois de acionar a filtração, utilize uma peneira para remover toda a sujeira visível.

Escovar a piscinaFolhas, gravetos, insetos, frutos e qualquer outra coisa que esteja de intruso na piscina…

Assim que acabar a peneiração, passaremos para a escovação da piscina.

Escovar a piscina é um dos passos mais importantes na reativação da piscina uma vez que, como ela ficou muito tempo parada, a sujeira certamente estará bastante agarrada às paredes e ao fundo.

Além do mais, algas e bactérias se fixam nas paredes e no fundo, bem como na camada de sujeira formada ali, e sem a escovação fica difícil removê-las.

Esta é a primeira etapa da reativação da piscina: começamos com o tratamento físico da água.

Alcalinidade primeiro

Medir e corrigir a alcalinidade da piscinaA primeira coisa que devemos olhar quanto ao equilíbrio químico da piscina é a alcalinidade.

Quem nos acompanha sabe bem o que é a alcalinidade e por que ela é tão importante. Se você é novo por aqui, seguem alguns links que poderão clarear um pouco a mente acerca da importância da alcalinidade da piscina:

O controle da alcalinidade deve ser feito primeiro por que é ela que mantém o nosso pH no valor que a gente quer.

Se sua alcalinidade estiver baixa não adianta elevá-lo, afinal de contas, ele tenderá a descer em poucas horas…

A alcalinidade da piscina deve se manter entre 80 e 120 ppm. Se ela estiver muito baixa, adicione elevador de alcalinidade (ou pH certo, pH estável ou ainda estabilizador de pH).

Se medir e encontrar um valor muito alto para a alcalinidade, experimente reduzi-la com diminuidor de alcalinidade (geralmente também chamado de diminuidor de pH e alcalinidade, pois o mesmo produto diminui os dois parâmetros juntos).

A redução da alcalinidade muitas vezes deve ser feita em estágios, para manter o pH no nível ideal. Em outras palavras, talvez seja necessário diminuir a alcalinidade, elevar o pH e depois continuar reduzindo a alcalinidade, uma vez que o redutor age nos dois parâmetros ao mesmo tempo.

O pH depois

Medir e corrigir o pH da piscinaDepois de regular a alcalinidade, é hora do pH.

Assim como da alcalinidade, já falamos bastante acerca do pH.

Seguem alguns links para você ficar por dentro de todos os detalhes deste parâmetro:

A dureza cálcica em terceiro lugar

A dureza de cálcio, ou dureza cálcica, ou simplesmente a dureza da água, deve ser observada logo depois de controlarmos a alcalinidade e o pH.

A dureza da água determina a quantidade de íons minerais dissolvidos na água.

Mas o que isso importa?

A concentração destes íons (geralmente íons de Cálcio e Magnésio) determina a ocorrência ou não de determinadas reações na água da piscina.

Se a dureza da água estiver menor que 200 ppm, a água da piscina fica mais corrosiva, prejudicando especialmente os itens de metal que entrarem em contato com a água da piscina.

Se a dureza da piscina estiver acima de 400 ppm, a água pode ficar turva devido à precipitação do carbonato de sódio formado. Esta precipitação, se ocorrer nos aquecedores, diminuindo sua eficiência.

Também é comum observar a formação de canais dentro do filtro de areia, devido à formação deste composto chamado Carbonato de Sódio. Estes canais podem prejudicar consideravelmente a filtração da água.

O quarto passo é o condicionamento da piscina

Cloro para piscinaFinalmente, podemos realizar um tratamento de choque com cloro na piscina, agora que ela já se encontra limpa e com a água quimicamente balanceada.

Realizar um tratamento de choque antes de todos estes passos anteriores iria resultar num choque menos eficaz, afinal de contas o cloro iria ser consumido também por toda aquela sujeira que nós removemos com a peneira, que nós retiramos das paredes e do fundo da piscina com a escova, que nós aspiramos e etc… Além de tudo isso, o cloro agiria sem sua potência total se o pH estivesse desregulado.

Para colocar a piscina de novo em condições de uso, utilize o dobro, ou o triplo de cloro que você usaria normalmente. Esta quantidade pode variar de acordo com a quantidade de sujeira presente na piscina e também de acordo com a presença ou não de algas. Em geral, o tratamento de choque com cloro pode utilizar 14 gramas de cloro para cada mil litros de água.

Este é o nosso passo-a-passo para reativar uma piscina. Se você gostou, compartilhe com os amigos e não deixe de se inscrevem em nosso canal no Youtube. Em breve teremos muitas novidades por lá!

Grande abraço e até a próxima!

Receba dicas e novidades grátis no email

GOSTOU DO QUE LEU?

NENHUM COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO